Laboratório de Investigação de Rochas Industriais e Ornamentais

O Laboratório de Investigação de Rochas Industriais e Ornamentais (L.I.R.I.O.) é uma unidade de investigação da Universidade de Évora. No âmbito das suas actividades tem prestado especial atenção aos domínios da caracterização das rochas, cartografia geotécnica, estudos de fracturação e aplicação de Sistemas de Informação Geográfica às Geociências.
Nos últimos anos tem dinamizado diversas acções de divulgação da Geologia, em especial junto das camadas mais jovens.

Contactos
Tlf.: +351266333246
Fax: +351 266 333 285
Morada:
Pólo de Estremoz da Universidade de Évora
Convento das Maltezas


7100-513 Estremoz

Funcionários

Competências

Regulamento do LIRIO – Ordem de Serviço nº 6/93 de 15 de novembro Protocolo de 11 de maio de 1998 assinado entre a UÉ, o MCT e a CM Estremoz

Promover e apoiar atividades de investigação e de prestação de serviços no âmbito das rochas ornamentais, bem como a promoção de atividades de divulgação e promoção da cultura científica e tecnológica

(Fonte: nº 1 do Regulamento do Laboratório de Investigação de Rochas Industriais e Ornamentais)

(Fonte: Protocolo)

O Pólo de Estremoz da Universidade de Évora tem como missão ser um espaço de I&D onde existem 2 estruturas para que essa missão se concretize:

1) Laboratório de tectónica experimental e o LIRIO-Laboratório de investigação de rochas industriais e ornamentais; com a missão de investigação científica;
2) Centro Ciência Viva de Estremoz cuja missão é a promoção e divulgação da cultura científica e tecnológica, que se constitui num espaço museológico interativo, que funciona também como forma de divulgação da investigação que se faz na Universidade de Évora a nível da Escola de Ciências e Tecnologia.

(Fonte: FocusGroup)

1. Planear a atividade do Laboratório e do Centro Ciência Viva de Estremoz
2. Gerir os recursos afetos ao laboratório e ao Centro Ciência Viva de Estremoz
3. Garantir a obtenção de recursos (e.g. financeiros) tendo em vista a sustentabilidade deste Pólo.
4. Garantir o funcionamento do Centro Ciência Viva de Estremoz fora dos horários de funcionamento normal da função pública (i.e., abertura aos fins-de-semana e durante as férias), nomeadamente através da gestão de um banco de horas com os funcionários da Universidade de Évora e do Centro Ciência Viva de Estremoz.
5. Planear, promover e implementar periodicamente novas actividades de divulgação e promoção da ciência e tecnologia tendo em vista a contínua captação de novos públicos e o regresso ao espaço expositivo de visitantes anteriores.
6. Gerir banco de horas.

Perfis Gerais das Pessoas para os Requisitos e Competências/Atribuições

Competências Técnicas

1. Definir / criar estratégia de cumprimento da missão em excelência onde exista estratégia:
- Científica (Investigadores; artigos; congressos);
- Financeira (Candidaturas a projetos, etc.);
- Gestão (Recursos humanos; espaços; meios; financeira);
- Promoção da divulgação científica (criação de novas exposições, módulos interativos e eventos de divulgação científica);
2. Implementação / Execução da estratégia definida tendo em conta os recursos físicos, humanos e financeiros;
3. Fluência verbal e escrita (Inglês e espanhol) 4. Domínio da língua portuguesa (fluência verbal e escrita)

Competências Pessoais

1. Coordenação
2. Negociação e Persuasão
3. Orientação para os resultados
4. Gestão do tempo
5. Gestão de recursos
6. Organização e método de trabalho
7. Inovação e Qualidade
8. Espirito de equipa
9. Inteligência emocional
10. Iniciativa e Autonomia
11. Adaptabilidade
12. Polivalência
13. Análise de informação
14. Capacidade critica e de autocrítica
15. Exigência e rigor no trabalho
16. Capacidade de comunicação para vários níveis de ensino

(Fonte: Focus Group)

Esta informação ainda não incorpora o contributo dos trabalhadores, indicados pelos superiores hierárquicos, que participaram nas sessões realizadas pelo grupo de trabalho nomeado pelo Despacho nº 42/2016, de 16 de maio.